Pular para o conteúdo principal

Alô Comunidade - Convite


ASSOCIAÇÃO RECICLÁZARO NA VIRADA SUSTENTÁVEL 2013
Data: dia 6 de junho.
Local: Centro de Educação Ambiental e Formação Profissional (CEFOPEA).
Avenida Ariston Azevedo, 10 – bairro do Belém.
PROGRAMAÇÃO:
9 hs: Abertura: Cantata de Saudação ao Meio Ambiente, pelo Coral da Guarda Civil Metropolitana.
10 hs: Início das atividades simultâneas:
Gincana de Caça ao Tesouro;
Oficinas: Origâmi, Vasos com Papel Jornal e Colar Falante.
11 hs: Inauguração do CINECO – Cinema Ecológico cuja estrutura e suporte para telão são feitos a partir da reciclagem de tubos de pasta de dente. O cinema será inaugurado com exibição do documentário “Uma verdade inconveniente”.
11:30 hs: Teatro de sensibilização sobre o uso racional da água, pelo Programa de Áreas Verdes Saudáveis (PAVS).
12 hs: Apresentação de maracatu, cirandas e moçambique com o Ballet Popular Cordão da Terra.
Período da tarde:
13:30 hs: Contação de Histórias – mitos e lendas indígenas, de temática ambiental.
Retorno das oficinas de Origâmi e Colar Falante.
13:45 hs: Dinâmica sobre consumo consciente, ministrada pelo Programa de Áreas Verdes Saudáveis (PAVS).
14 horas: Teatro de bonecos com temática ambiental.
Sessão de cinema com animações e curta-metragens sobre Meio Ambiente.
Teatro de sensibilização sobre o uso racional da água, pelo Programa de Áreas Verdes Saudáveis (PAVS).
15 horas: Gincana de Caça ao Tesouro (segunda edição).
16 horas: Encerramento com vivência de Dança Circular homenageando a Mãe Terra.
O programa do evento será complementado com a instalação de cama elástica para recreação do público infantil e distribuição de sorvete e pipoca, gratuitamente, durante as exibições de cinema.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Evolução - Part 2

Será que ainda estamos evoluindo ?

Paperback Stories - Somos a Evolução ?

Somos a Evolução ? Comente no Instagram

Samuel - Menino de Rua

Os caminhos da vida nos levam a destinos que muitas vezes não esperamos. As esquinas são cruéis. As noites e dias tornam-se cada vez mais difíceis de suportar. A explicação é única. Solidão. As ruas que dormimos nelas nos passam dores que ficam alojadas no corpo para toda a vida. Sou um menino de rua. Tornei-me um deles. Num dia desses, num passeio pelo centro de uma capital me perdi dos meus pais. Fique na multidão. Gritei. Chorei. Não adiantou. Fiquei só no mundo. Mesmo assim, não perdi, em momento algum, a vontade de vencer. Samuel se perde dos pais e vira menino de rua... É bem verdade, que mesmo só pelas ruas Direita, São Bento, XV de Novembro, e tantas outras, prédios antigos e modernos, não me fizeram perder meus sonhos. Captei a mensagem de que para vencer, basta lutar. Alguém me disse que aquilo que plantamos, colhemos. Dizem que é uma lei da natureza. Nua e crua. Então resolvi, que seria muito legal para mim, trabalhar. Juntar forças para conseguir alguma coisa melhor