Pular para o conteúdo principal

DENÚNCIA/TRAGÉDIA ANUNCIADA: Relatório aponta que ESTAÇÕES NÃO POSSUEM ALVARÁ DO CORPO DE BOMBEIROS

DENÚNCIA/TRAGÉDIA ANUNCIADA: 

Relatório aponta que ESTAÇÕES NÃO POSSUEM ALVARÁ DO CORPO DE BOMBEIROS Olá, pessoal!  Além de blogueira, esta escriba presta seus serviços para o semanário AT Notícias (www.altotietenoticias.com.br), em Poá, para quem escrevi a matéria abaixo. Ela é a manchete da edição de hoje, dia 25/5, e serve como um alerta à população e aos milhares de viajantes que utilizam diariamente este meio de transporte. Agora, teremos que nos preocupar com as condições de segurança destas estações já que, de acordo com o relatório do Sindicato Central dos Ferroviários, não possuem o AVCB, que é o documento que aprova a estrutura de segurança dos locais públicos, como no caso das estações de trens. Por sua vez, a CPTM se manifestou - depois do horário de fechamento da edição - dizendo que este problema está sendo resolvido. Devido à falta de espaço no jornal, não deu para publicar as imagens do relatório, mas agora elas estão expostas neste blog. Agora, internautas, fiquem à vontade para tirar suas conclusões sobre este grave problema no setor ferroviário.  Eis a matéria de minha autoria, que compartilho com vocês, que já está publicada no AT Notícias (http://www.altotietenoticias.com.br). Os exemplares também estarão disponíveis nas bancas.  Estação de Ferraz não tem AVCB O AVCB é o documento que aprova as condições de segurança de locais públicos. Caso está sendo apurado pelo Ministério Público Márcia Dias De Ferraz A suposta inexistência do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) nas estações ferroviárias do Estado de São Paulo, inclusive a de Ferraz de Vasconcelos, serve como um alerta aos viajantes e à Companhia Paulista dos Trens Metropolitanos (CPTM) sobre as condições de segurança destes locais que são bastante movimentados. Somente no Alto Tietê, são 115 mil usuários que passam diariamente por estas unidades e, sem saber, estão colocando suas vidas em risco. O caso está exposto em um dossiê preparado pelo Sindicato Central dos Ferroviários, cujo documento foi encaminhado ao Ministério Público no final de abril, e está sendo investigado. Procurados pelo jornal durante a semana, a CPTM e o Corpo de Bombeiros não deram retorno até o fechamento desta edição. O AT Notícias teve acesso ao relatório, que também expõe outras irregularidades trabalhistas denunciadas pelo sindicato contra a CTPM. De acordo com o Relatório de Avaliação da Exigência de AVCB do dia 1º de agosto de 2012, elaborado pelo Consórcio GCI (responsável pela análise dos contratos da CPTM), o Corpo de Bombeiros tem cobrado a estatal para apresentar os projetos de segurança nas estações ferroviárias. Na página 2 do referido relatório, foram analisadas as papeladas de três estações com obras em andamento, que são a de Ferraz de Vasconcelos, São Miguel e Tamanduateí. Estranhamente, não foram mencionadas as estações de Suzano e Poá, que também se encontram em obras. No item 3 da página, o relatório dá o parecer sobre os documentos examinados, como o Termo de Referência (que formaliza o processo de concorrência da obra). “Portanto, para efeito de análise do AVCB, este documento não auxilia em nada por não trazer nenhuma informação sobre o assunto”, cita o representante da GCI, Luciano Pires Marcondes Machado, que assina o relatório. A mesma referência também é feita aos outros documentos ligados ao processo de concorrência. “Essa documentação não auxilia na análise das exigências para a obtenção do AVCB, pois quando algo relativo às instalações de proteção e combate  à incêndios é citado, nada acrescenta além daquilo que é mencionado na documentação de contrato”, observou Machado, em seu relato. A condição de segurança das estações se torna preocupante quando o relatório cita, na página 3 e item 3.3.1, que não consta a exigência do AVCB nos contratos firmados entre a CPTM e empresas terceirizadas para a realização de obras nas plataformas ferroviárias. “No anexo 1(Condições Gerais de Contratação) não há nada sobre a necessidade de obtenção do AVCB”, cita.  O QUE É O AVCB É o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros certificando que, durante a vistoria, a edificação possuía as condições de segurança contra incêndio previstas pela legislação e constantes no processo, estabelecendo um período de revalidação. É um conjunto de medidas estruturais, técnicas e organizacionais integradas para garantir a edificação um nível ótimo de proteção no segmento de segurança contra incêndios e pânico. Eis a resposta da CPTM, enviada depois que fechei a edição. Opa, vale lembrar que na quarta-feira, enviei um email à estatal solicitando uma resposta. Ou seja, a CPTM teve tempo hábil de mandar a sua resposta para ser publicada a tempo na edição deste sábado. new ford escape

Fonte : http://trilhosdanoticia.blogspot.com.br/2013/05/denunciatragedia-anunciada-relatorio.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aloha, Rotary!

Aloha, Rotary!
Conheça o verdadeiro espírito do aloha e do Rotary ao lado de familiares, amigos e outros rotarianos na cidade de Honolulu. Será o ambiente ideal para celebrarmos, colaborarmos e estreitarmos nossos laços de amizade, desfrutando do calor e da hospitalidade havaianos. A Convenção é uma das únicas oportunidades de reunirmos pessoas em ação do mundo inteiro para comemorar as conquistas do Rotary. Nossos oradores o motivarão ainda mais a se dedicar aos serviços humanitários e abordarão novas perspectivas relacionadas ao nosso trabalho global. Aproveite para rever velhos amigos, fazer novos contatos e explorar tudo o que o evento tem a oferecer. Você voltará para casa energizado e inspirado a continuar trabalhando pelo bem do próximo. Não perca a chance de compartilhar o seu aloha com toda a família rotária na nossa Convenção em Honolulu, de 6 a 10 de junho de 2020. Inscreva-se agora e economize Faça sua inscrição até 15 de dezembro pelo site riconvention.org para aproveitar o p…

Após ação da Lusa na Justiça, leilão do Canindé termina sem lances

Clube se baseia no pedido de tombamento que está em análise no Conselho de Preservação do Patrimônio

Gonçalo Junior e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo 09 de maio de 2019 | 15h41

Após a Portuguesa entrar com uma petição na 14ª Vara Cível da Capital de São Paulo para suspender o leilão de parte do terreno do Canindé, marcado para esta quinta-feira, não surgiram interessados. Para acionar a Justiça, o clube se baseou no pedido de tombamento enviado para Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Compresp) no dia 12 de abril. No entendimento do clube, o leilão só pode ser concluído após a decisão definitiva sobre o tombamento do complexo Oswaldo Teixeira Duarte, formado pelo estádio do Canindé e o clube social.

Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

© Getty Images Empresas nacionais lançam títulos originais e também de outros países
Resumo:

O setor de jogos de tabuleiros modernos foi responsável por cerca de R$ 665 milhões do faturamento da indústria de brinquedos nacional;Em 2018, mais de 4.000 “boardgames” foram lançados no mundo todo;Conclave, Galápagos, Calamity Games, Papergames, Meeple BR e Bucaneiros são algumas das editoras brasileiras de jogos de tabuleiro;O Diversão Offline, evento dedicado ao hobby, recebeu 18 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões no mercado de jogos analógicos ao longo de seis edições.