mentiroso1

Quanta criatividade no Pari através dos séculos, afinal são mais de 400 anos de muita história,

verdadeiras ou digamos, criativas, para ser mais preciso.

Havia entre os anos 20 aos anos 60 um homem de uma criatividade a toda prova. Era o sr.Nicodemus, mais conhecido como Capitão Mentira ou simplesmente Capitão. Um ho-

mem muito bom, trabalhador, honesto porém um tanto quanto exagerado . Na verdade,

ele misturava verdades, meias- verdades e inverdades, tornando as suas histórias alvo

da atenção de todos. Nos velórios, batizados, casamentos , enfim nas mais simples reuniões de família, Capitão não podia faltar. As suas caçadas , as suas caminhadas nas serras que circundam a nossa cidade. Os abismos, os galhos que o salvaram , como por exemplo uma ocasião em

que os seus suspensórios  enroscaram num galho numa queda livre na serra do Mar.

As suas viagem de motocicletas, as epopéias que ele fazia nas curvas da estrada de Santos, a conversa com o presidente Vargas , lá no Rio , em que reinvidicou a construção de uma estrada melhor para o litoral paulista, fato ,que segundo ele foi censurado pelos orgãos de censura na época. Segundo ele , algum tempo depois o então governador Adhemar de Barros construiu a bela Anchieta, claro que obedecendo à sua proposta.

Eu , quando criança, ouvi várias dessas histórias, algumas delas , fantasmagóricas, foram motivos para pesadelos meus. Todos as ouviam com a maior atenção possível, uns crédulos, outros riam à solta, sem disfarçar a  incredulidade, tentavam contestar, mas sábio palestrante,

invocava o testemunho de alguem que não estava presente ou de algum fiel escudeiro que indagado pelo Capitão , não é fulano ?, respondia afirmativa com a cabeça.

Era um homem de muito bom humor, muito querido por todos, que se tornavam adeptos e o

reverenciavam ao cumprimenta-lo com o título de Capitão.

A seu enterro acorreu uma verdadeira multidão, tal era o seu prestígio e claro no velório, a homenagem que as pessoas podiam lhe prestar eram os seus feitos, acompanhados com risinhos abafados , porém o Capitão lá de cima via tudo , claro ,quando havia algum excesso nas suas histórias , estaria afirmando, mas que mentiroso!  não foi bem assim que eu contei essa história,

foram os suspensórios que enroscaram nos galhos, não que os suspensórios viraram asas e falava isso morrendo, ops, já havia morrido , rachando de rir. Grande Capitão, você deve estar divertindo a moçada aí no Paraíso.