Fases inesquecíveis
Tivemos a nossa infância, juventude, idade adulta/profissional e chegamos aos 60 anos – depois dessa idade pode ser mais triste ou um pouco melhor. A infância, aquela algazarra, brincadeiras, coleguinhas, correrias, roubar frutas, empinar pipas, brincar de boneca, jogar bolinha de gude, ir na casa da coleguinha, jogar bombinha nas meninas, brincar com o cachorro, pião e mais um monte de coisas. Tinha a escola, o primário e depois o ginásio. Chegando à tarde, tomar um banho, jantar e ficar na rua, na porta de casa conversando com os colegas. Nem tinha TV – era o rádio e nada mais. Ai alguém diz:" Eu era feliz e não sabia."
É apenas uma frase dita e ninguém sabe o porquê. Isso sempre se diz na idade adulta quanto, por ironia do destino, aquela fase da vida está exatamente como não queríamos. Ninguém era feliz e não sabia. Na infância todos éramos felizes e sabíamos disso, mas ninguém ligava para essas coisas – não tínhamos nada para pensar – tínhamos a impressão que seria sempre assim – nunca pensamos em futuro - éramos inocentes de tudo e felizes por que não conhecíamos a fase adulta e naquela idade nunca pensamos em trabalhar, ter um chefe mais chato que gilete, ser mandado embora, não conseguir logo outro emprego e etc. e tal.
Nós devemos dizer que sempre somos felizes, apesar de todos os pesares e por estarmos vivos – por isso sim, somos felizes – mas com muito entremeios, falhas e nada continuo. A vida tem risos e choros, subidas e descidas etc.
A felicidade nunca é completa, ininterrupta e perene. A vida não é assim, uma eterna felicidade "sem fim". Hoje dizemos que éramos felizes e não sabíamos, justamente por que não sabíamos mesmo nada da vida. Digamos que estávamos em início de carreira, sem experiência nenhuma e mal sabendo da vida.
Apenas para reforçar algo desconhecido, essa frase serve apenas para lembrarmo-nos da infância e juventude, onde nem pensávamos aonde chegaríamos. Isso, apenas isso...
Claudio Cursini - jan/15