o-cruzeiro

O Ricardo Eduarte nos manda mais uma postagem do seu site seculo vinte.

Agora é a capa de uma revista "O Cruzeiro" do ano de 1930.

Para os mais novos e que não saibam dessa revista, ela foi durante muitos anos a líder em

vendagem no Brasil. Ela era chamada e a maior e melhor revista do Brasil.

Alem das belas fotos , trazia reportagens sensacionais e que viraram temas de discussão

em todo o país. Um dos seus melhores reporteres era o tambem grande compositor, David Nasser.

Grandes reportagens, como por exemplo, o crime de uma jovem carioca de nome Aída Cury,

o desaparecimento de uma socialite de nome Danna de Tefé, o crime da rua Toneleros no Rio

e outros mais.

Quando criança, na década de 50,  ia sempre à banca do Alfredo em frente ao Bar Pif-Paf, para comprar essa im-

portante publicação dos Diários Associados, que se não me engano era quinzenal.

Claro , que abria a revista no Amigo da Onça, personagem lendário do grande cartunista Péricles.

Depois passava aos gostosos de ler artigos da Rachel de Queiroz. A revista passava de mão em mão na

nossa família , porém quem mandava comprar era minha mãe, cujo interesse maior eram as repor-

tagens bombásticas que eram publicadas.

Já o meu pai achava a revista bairrista demais, só davam ênfase à capital da república , então o Rio de Janeiro, o meu pai gostava dos jornais paulistanos , como o Correio Paulistano, ou a Folha da Manhã.

Era um período de grandes mudanças na imprensa nacional, tanto na parte gráfica, como no conteúdo

investigativo , por exemplo de O Cruzeiro.

JAYME ANTONIO RAMOS