Pular para o conteúdo principal

Fwd: O vão é livre ou não?

Assunto: O vão é livre ou não?
Para: wagnerwilson@gmail.com


Change.org
Wagner - Um novo abaixo-assinado foi criado na Change.org e achamos que você pode se interessar em assiná-lo:

Contra o cercamento do vão livre do MASP

Por maria luiza andrade
sao paulo

No dia 21 de outubro o jornal O Estado de S. Paulo publicou um editorial intitulado "É preciso preservar o MASP" no qual defendia a construção de grades para cercar o museu e assim evitar o mal uso, que ao ser ver, o vão livre possui por manifestantes e usuários de drogas. O curador Teixeira Coelho endossa esta alternativa e acusa o Iphan de atraso pois " São Paulo não é mais a mesma de quando o MASP foi inaugurado".

O gestor parece ignorar que o Iphan, o Condephaat e o Conpresp (órgãos nos quais o museu é tombado) existem exatamente para que despautérios como ester perpretados por vontades particulares não destruam o Patrimonio Histórico do país.

No projeto original de Lina Bo Bardi o vão livre seria uma praça de uso pela população, não foi levado a cabo, entretanto é um notório espaço histórico para reivindicações políticas e espaço de sociabilização entre os moradores da cidade. 

Para além da destruição de um projeto arquitetonico reconhecido mundialmente, existe um problema mais grave: a higienização do espaço público. O vão livre do  MASP é um dos poucos locais que os paulistanos utilizam ao ar livre para as mais diversas finalidades, agora a administração do museu quer deixar este espaço apenas para seus frequentadores, aqueles provavelmente que pagam ingressos. Ao invés de repensar políticas públicas em setores diversos, a saída mais fácil, estéril e individualista : o gradeamento.

Este abaixo-assinado é para frear este projeto por parte do MASP que destruirá um patrimônio de importância inestimável não só para o país, mas para a arquitetura como um todo, e destruirá, principalmente, a proposta inicial de ocupação e uso do espaço livre pelos moradores da cidade, fundindo o espaço fechado, privado, com as pessoas, com a cidade.

A pessoa (ou organização) que iniciou este abaixo-assinado não é afiliada à Change.org. A Change.org não criou esta campanha e não é responsável pelo conteúdo do abaixo-assinado.

Inicie um abaixo-assinado na Change.org

Endereço para correspondência: Change.org · 216 W 104th St., #130 · New York, NY 10025


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aloha, Rotary!

Aloha, Rotary!
Conheça o verdadeiro espírito do aloha e do Rotary ao lado de familiares, amigos e outros rotarianos na cidade de Honolulu. Será o ambiente ideal para celebrarmos, colaborarmos e estreitarmos nossos laços de amizade, desfrutando do calor e da hospitalidade havaianos. A Convenção é uma das únicas oportunidades de reunirmos pessoas em ação do mundo inteiro para comemorar as conquistas do Rotary. Nossos oradores o motivarão ainda mais a se dedicar aos serviços humanitários e abordarão novas perspectivas relacionadas ao nosso trabalho global. Aproveite para rever velhos amigos, fazer novos contatos e explorar tudo o que o evento tem a oferecer. Você voltará para casa energizado e inspirado a continuar trabalhando pelo bem do próximo. Não perca a chance de compartilhar o seu aloha com toda a família rotária na nossa Convenção em Honolulu, de 6 a 10 de junho de 2020. Inscreva-se agora e economize Faça sua inscrição até 15 de dezembro pelo site riconvention.org para aproveitar o p…

Após ação da Lusa na Justiça, leilão do Canindé termina sem lances

Clube se baseia no pedido de tombamento que está em análise no Conselho de Preservação do Patrimônio

Gonçalo Junior e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo 09 de maio de 2019 | 15h41

Após a Portuguesa entrar com uma petição na 14ª Vara Cível da Capital de São Paulo para suspender o leilão de parte do terreno do Canindé, marcado para esta quinta-feira, não surgiram interessados. Para acionar a Justiça, o clube se baseou no pedido de tombamento enviado para Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Compresp) no dia 12 de abril. No entendimento do clube, o leilão só pode ser concluído após a decisão definitiva sobre o tombamento do complexo Oswaldo Teixeira Duarte, formado pelo estádio do Canindé e o clube social.

Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

© Getty Images Empresas nacionais lançam títulos originais e também de outros países
Resumo:

O setor de jogos de tabuleiros modernos foi responsável por cerca de R$ 665 milhões do faturamento da indústria de brinquedos nacional;Em 2018, mais de 4.000 “boardgames” foram lançados no mundo todo;Conclave, Galápagos, Calamity Games, Papergames, Meeple BR e Bucaneiros são algumas das editoras brasileiras de jogos de tabuleiro;O Diversão Offline, evento dedicado ao hobby, recebeu 18 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões no mercado de jogos analógicos ao longo de seis edições.