Vida complicada...

Simplicidade
→  Outro dia (ou noite) não sei aonde li ou se foi em algum filme, algo que dizia que direitos não são privilégios. Achei interessante e fui procurar as diferenças – são quase iguais, semelhantes, mas tem alguma diferença que não os fazem exatamente iguais.
→ Eu posso ter muitos privilégios, mas nenhum direito, como posso ter alguns direitos e nenhum privilégio. Posso não ser ninguém, mas tenho uma permissão especial, para alguns casos, tenho certa imunidade ou, digamos, alguma coisa que poucos têm, um papel qualquer para vantagem especifica. Isso são privilégios.
→ O direito que eu teria seria algo de conformidade com as leis ou justiça, um poder legítimo, prerrogativas baseadas em lei ou justiça.
→ Digamos que as duas palavras são quase iguais, então parece que não há nada errado, mas alguma coisa não está certa. Por ai podemos perceber que a língua portuguesa deve estar sempre acompanhada de um dicionário, pois é de difícil aprendizado e, muitas ou poucas vezes erramos com convicção de certeza. Aparentemente são quase iguais, mas totalmente diferentes. A nossa Língua Portuguesa, linda e maravilhosa, é uma das mais (senão a mais) difíceis de falar e escrever. Por isso que digo sempre – leiam, leiam e leiam e, mesmo assim, precisarão ler mais.
→ Claudio Cursini  - 03/10/2013 10:25