Eu sou nuvem passageira

Que com o vento se vai

Eu sou como um cristal bonito

Que se quebra quando cai

Não adianta escrever meu nome numa pedra

Pois esta pedra em pó vai se transformar

Você não vê que a vida corre contra o tempo

Sou um castelo de areia na beira do mar!

Hermes de Aquino
1970