O GALÃ

Eunápio é o nosso herói de hoje. Casado com Da. Catarina , pai de tres filhos.

Trabalhador  incansável, dono de uma oficina de consertos de aparelhos domésticos que tinha uma vasta freguesia. Eunápio tinha o péssimo hábito de falar aos quatro ventos sobre as suas memoráveis conquistas amorosas. Temos  que fazer uma ressalva, ele respeitava a clientela, pois segundo ele mesmo, onde ganha o pão ,não se come carne.

As noites de sexta, sábado e domingo, Eunápio jogava as suas iscas e nos bailes da vida, arrasava corações das bailarinas. As filhas, já mocinhas , brigavam com ele, mas Catarina nada falava e dizia às filhas que homem é assim mesmo, sem vergonha, mulherengo. E lá ia Eunápio , todo pimpão, cheiroso, com o sapato preparado para os rodopios nos salões de baile do  bairro.

Era um tipo muito popular , frequentava e era bem recebido em todas as rodinhas de amigos e principalmente entre as amigas. Só aparecia em casa lá pelas 9 da manhã, cabelo molhado, ainda cheiroso.

Da. Catarina, apesar da vida de luta que levava, com tres filhos nas  idades de 18 a 24 anos, era muito bonita e apenas não sobrava tempo para cuidar da sua beleza, pois a casa  girava em torno do dom Juan.

Um belo dia de sol, os filhos foram passar o fim de semana na casa da tia no Litoral Sul, Eunápio disse que iria a uma " pescaria" com amigos do baile.

Da. Catarina, nunca havia comentado com ninguem, mas era assediada há mais de um ano pelo bicheiro que ficava ao lado da padaria, o Ismael. Bem mais novo que ela, ele descobrira nela a beleza que Eunápio havia relegado a um segundo, terceiro, quarto plano, sei lá. E uma cantadinha aqui, outra ali, falava do tempo hoje, amanhã falava do reality – show, enfim papinhos curtos que Ismael soltava tecendo uma rede, que aos poucos foi deixando Catarina se sentir  desejada.

E aquele belo domingo de sol, Catarina  estava lá na cozinha, sòzinha , cortando cebola, cortando os bifes e o Ismael na cabeça martelando. Guardou tudo na geladeira se produziu e foi fazer sua fèzinha, que aliás nunca havia feito com o Ismael. Ismael, quando a viu mais bela ainda a convidou para ir almoçar e disse que iria lhe explicar como se jogava no bicho.

Bem , podemos imaginar que foi uma fogosa tarde para ambos. Catarina louca por Ismael, arrumou suas malas , seus cds do Altemar Dutra, do Julio Iglesias e fugiu com o bicheiro para

Goiás. Só deu notícias para a família , uma semana depois. Ah ! ia esquecendo , antes de sair de casa naquele belo domingo de sol, Catarina deixou um bilhete na geladeira, que tinha ido viver e que daria notícias em breve. Outra coisa , hoje ela ainda vive com o Ismael e outro detalhe ainda não aprendeu a jogar no bicho. Ismael e Catarina, abriram uma pequena pousada no interior de Goiás, os tres filhos  dela com Eunápio, casaram e Eunápio é sempre homenageado como o bailarino mais velho dos bailes por onde outrora encantava as dançarinas de salão. Hoje, vive das glórias do passado .