O amigo Cláudio Cursini mais uma vez me envia mais algumas reflexões suas:

 

1.   BONS TEMPOS AQUELES - Quando eu era garotinho – sete, oito anos - ia com minha tiolan – tia Yolanda – para uma fazenda em Caconde, interior de sampa. Adorava esse passeio – íamos de trem e pra mim era uma festa. Estava lendo sobre macaúva (ba) e lembrei dessa passagem. Lá conheci essas frutinhas exóticas, um coquinho. Quebra-se a casca e o coloca na boca – chupa ou mastiga – ela tem um caroço e vai grudando na boca – como se comesse banana verde, já comeram? Muito gostosa por que nem tinha em sampa. E nessa fazenda eu dormia num berço com colchão de paina. Logo cedo acordava e, num copão, colocava açúcar cristal e ia pro curral encher o copo direto das tetas da vaca. Pra mim tudo era um espetáculo – um caipirinha de São Paulo naquele ambiente. O leite quentinho e espumoso. Depois ia andar pela fazenda, dar milho aos porcos e era aquele ronc-ronc gostoso de ouvir. Tinha que andar de botas por causa dos tais bichos do pé e carrapatos. Escondido eu tirava as botas e andava descalço. E como moleque de Sampa, adorava sentar e ficar tirando carrapatos do pé, na sola e no meio dos dedos – mas que gostoso que era. Sabem aquela coceirinha gostosa que faz o carrapato? Eu gostava de mais de tirar aqueles bichinhos do pé. Coisas de criança – pena que esse tempo não volta mais. Pena mesmo! CC10E – c.cursini@terra.com.br- 29-ago-12 – FB - SA

2.   Hoje fui buscar minha quentinha e, obviamente, é um local onde encontramos conhecidos e deixamos o papo rolar. Dizem que mulher adora falar o que quer e conversas sem nexo – eu não acho isso – até gosto de conversar com mulheres, pois muitas delas têm conversas alegres, cativantes, profissionais, agradáveis, com nexo e sem sexo. Mas voltando ao assunto, os colegas que encontro adoram jogar conversa fora, falar de nada e de tudo ao mesmo tempo. É que conversa de homens com homens é bem diferente de homens com mulheres. Com as mulheres nós temos mais respeito e somos mais alegres, somos mais educados, mas somos mais sensíveis também e procuramos nos coadunar (bonita essa hein? Fazia tempo que queria colocar essa palavra e achei) ao assunto em pauta. Voltando ao assunto masculino, encontrei uma pessoa e falamos tantas e tantas sobre piadas, sobre a filha que ele iria buscar na escola e até sobre roupas. Sobre roupas eu comentei que adoraria e vou comprar ainda, uma daquelas jardineiras (é esse mesmo o nome?), tipo de macacão de jeans, com a parte de cima livre, apenas com aquelas tiras nos ombros e ele todo solto no corpo. Acho muito boa essa roupa, afinal ficamos totalmente soltos dentro dela – não aperta em nada. Larga, sem cinto, cheia de bolsos e, se ficarmos sem cueca, ficamos mais livres, leves e soltos. MARAVILHA! – Só vai atrapalhar se calçarmos 40 e colocarmos um tênis ou calçados dois números abaixo. Aí estraga tudo. E essas conversas a toa, duram mais ou menos uma hora ou uma hora e meia e dá muito bem pra esquecer o ontem e a manhã e nos dá um gás para o período da tarde. Pequenas coisinhas que nos dão enorme alivio e, às vezes, ignorantemente exigimos tanto. Na verdade, precisamos de pequenas coisinhas pra aliviarmo-nos da grande coisa ou da coisa grande. Para o bom entendedor...  – CC10E –c.cursini@terra.com.br

3.   EDUCAÇÃO = MÁXIMO EM BESTEIRAS NO BRASIL → Eu nem gosto de me exprimir em palavras tão mórbidas e fortes como as abaixo, mas... Fica cada vez mais difícil falar em Educação no Brasil. Normalmente, no tudo e no todo, o tempo vai passando, modernidades, inovações, novidades, tecnologia e globalização, a mais falada, enfim, tudo vem para melhorar e atualizar. O nosso problema: a Educação no Brasil e seus políticos, igualmente, pioram cada vez mais, na mesma proporção do passar dos tempos. Apenas uma pequena comparação: vejam as palavras citadas: modernidade, inovação, novidade, tecnologia, honestidade, verdade e sensatez e vejam se, qualquer uma delas, mas qualquer uma mesmo, combina e se enquadra com aquelas fisionomias do Senado, Congresso e Três Poderes – pensem, meçam e verifiquem de verdade - nada a ver. Não sabem falar, complicam-se, mentem, distorcem, fingem e quase todos mais velhos que a Bíblia, etc. A maioria sem nenhuma condição para os cargos que têm. Nada a ver com as palavras acima. Tem alguns tão velhos e antiquados que lembram cemitério. São todos um tremendo contra-senso. Mas quando falamos de Brasil, tudo é possível – Um tremendo país atravancado pela velhice, pela ignorância e pela malandragem... Desculpem as palavras, mas elas são as mais corretas para defini-los e eu adoro Educação. – CC10E – c.cursini@terr.com.br– FB - 30-ago-12

4.   LEIAM GAROTOS... LEIAM – Garotada! Alguns gostam de ler e, com certeza, saboreiam aqueles momentos com as historias, com as aventuras que os livros nos fornecem. Aqueles que não gostam, experimentem novamente. Talvez o começo da leitura seja, digamos chato, mas fiquem tranquilos que depois de uma duas folhas, começa-se a entender o assunto e ai não querem largar mais. A leitura vai aumentar a sua imaginação, a sua criatividade e, principalmente, a sua vontade de ler e aprender. A nossa vida é essa: ler, aprender, trabalhar, amar e ser feliz. Não perca essa oportunidade, pois dizem que vivemos apenas uma vez. Então viva e seja feliz! – CC10E – c.cursini@terra.com.br– 2-set-12 - SA

5.   LEIAM QUE NINGUÉM FICARÁ DOENTE – Garotada! Tenha certeza sobre tudo o que ler, pois alguma coisa ficará gravada. Não esqueça! Seu cérebro estará aberto a tudo o que ouvir, sentir e ver. A vida é uma sequencia de imagens, sons, aromas e acontecimentos e de boas e más palavras e pessoas. Ela é uma sequência e tudo tem a sua consequência. É o cofrinho na sua cabecinha que vai acumulando e, como um liquidificador, bate tudo e separa o que precisa e o que não. Fica tudo guardado e de acordo com a sua vontade, pode utilizar-se das boas ou más – fica ao seu critério. De qualquer maneira, alimente bem o seu cérebro com tudo de bom que puder, isto é, de imagens, sons, palavras, aromas, acontecimentos e até sentimentos. A vida, muitas vezes, parece boa e algumas vezes parece chatinha, mas ela é assim mesmo. Para cada um que faça parte dessa imensa humanidade, ela dá o seu saborzinho particular e especial. Concluindo: "Cada um tem o que merece e cada um vai merecer por aquilo que fizer, pensar e falar."  Assim é a vida, a vida é assim – CC10E – c.cursini@terra.com.br - 3-set-12 – SA - FB

PERSPECTIVAS►Ler, Aprender, Conhecer, Ensinar e Criar
c.cursini@terra.com.br ► 
13 - 3473.9963 - 9118.2038