Pular para o conteúdo principal

Fwd: Conselho de Representantes





EXECUTIVO ENVIARÁ PL SOBRE CRIAÇÃO DE CONSELHO DE REPRESENTANTES



RenattodSousa/CMSP
CONS-REPRESENTANTES-1932013-Rtto__0094-72-ABRE
O secretário municipal de Governo Antonio Donato disse nesta terça-feira que o Executivo enviará à Câmara Municipal novo projeto de lei para criar o Conselho de Representantes nas subprefeituras de São Paulo.
A lei 13.881, aprovada em 2004, tornou oficial a criação dos conselhos, mas foi considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal, em ação movida pelo Ministério Público — que alegou, entre outros, vício de iniciativa, ou seja, cabe ao Executivo apresentar projeto de lei que gera despesas ou que cria órgãos na administração pública, e não à Câmara, como ocorreu.
"Se o problema é o vício de iniciativa, está superado. O prefeito Haddad disse que encaminhará novo projeto de lei a esta Casa. E essa lei não sairá só do Executivo, ele quer manter interlocução com esse fórum para discutir  o novo projeto", disse Donato.
A declaração foi feita durante debate sobre os desafios para implantação dos conselhos representantes nas subprefeituras, realizado nesta terça (19), nas dependências da Câmara.
Todos os presentes ao evento criticaram a ação do Ministério Público, que foi considerada "equivocada"."A Lei não gera despesas,não contrata, não mantém nenhum vínculo público, não remunera.  Portanto não há vício de iniciativa. Todas as atribuições previstas na lei 13.881  [que cria o conselho]  já são exercidas naturalmente por qualquer cidadão, individualmente", disse Paulo Boccarin, procurador do Legislativo da Câmara.
Segundo o coordenador da Rede Nossa São Paulo, Oded Grajew, a decisão do STF enterra de vez a democracia participativa no país. "A ideia dos conselhos participativos é funcionarem como representantes do cidadão comum, um contraponto àqueles que já têm participação nas decisões políticas, os financiadores de campanha. Por isso nosso país é tão desiguais, porque o compromisso dos representantes fica em primeiro plano com esses financiadores, e não com a população."
Para o presidente da Câmara, vereador José Américo (PT), a criação de conselhos que descentralizem o poder é essencial, já que São Paulo se tornaria ingovernável com uma administração centralizada . "A visão moderna de gestão impõe que criemos mecanismos para aumentar cada vez mais a fiscalização da administração pública", afirmou. Américo disse que a Casa estará aberta para receber o projeto do Executivo e debatê-lo com toda a sociedade.
"Falta um pedaço da sociedade participando daquilo que também é seu, da administração local", disse o vereador Police Neto (PSD), durante o evento. Em sua gestão como presidente da Câmara (2011/2012), ele liderou duas comitivas de vereadores à Brasília cuja missão foi tentar negociar a aprovação da lei junto ao Supremo.
O vereador Floriano Pesaro (PSDB) anunciou na reunião que a Câmara resolveu recriar a Frente Parlamentar em Defesa dos Conselhos Representantes, como forma de apoiar todas as iniciativas de participação popular na cidade, e que o vereador Nabil Bonduki  (PT) foi o escolhido pelo colegiado para presidi-lo.
"Temos um vereador para quase 200 mil habitantes. É impossível que o parlamentar consiga representar essa fatia da população. Então o Conselho de Representantes tem um papel muito importante na interlocução local, na representação de cada região", defendeu Bonduki.
Participaram do evento representantes de várias entidades civis, entre elas da Rede Nossa São Paulo e do Instituto Pólis, o promotor de Habitação e Urbanismo da Capital, Maurício Ribeiro Lopes e os ex-vereadores Cláudio Prado e Lídia Correa.
(19/03/2013 – 22h29)




--

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aloha, Rotary!

Aloha, Rotary!
Conheça o verdadeiro espírito do aloha e do Rotary ao lado de familiares, amigos e outros rotarianos na cidade de Honolulu. Será o ambiente ideal para celebrarmos, colaborarmos e estreitarmos nossos laços de amizade, desfrutando do calor e da hospitalidade havaianos. A Convenção é uma das únicas oportunidades de reunirmos pessoas em ação do mundo inteiro para comemorar as conquistas do Rotary. Nossos oradores o motivarão ainda mais a se dedicar aos serviços humanitários e abordarão novas perspectivas relacionadas ao nosso trabalho global. Aproveite para rever velhos amigos, fazer novos contatos e explorar tudo o que o evento tem a oferecer. Você voltará para casa energizado e inspirado a continuar trabalhando pelo bem do próximo. Não perca a chance de compartilhar o seu aloha com toda a família rotária na nossa Convenção em Honolulu, de 6 a 10 de junho de 2020. Inscreva-se agora e economize Faça sua inscrição até 15 de dezembro pelo site riconvention.org para aproveitar o p…

Após ação da Lusa na Justiça, leilão do Canindé termina sem lances

Clube se baseia no pedido de tombamento que está em análise no Conselho de Preservação do Patrimônio

Gonçalo Junior e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo 09 de maio de 2019 | 15h41

Após a Portuguesa entrar com uma petição na 14ª Vara Cível da Capital de São Paulo para suspender o leilão de parte do terreno do Canindé, marcado para esta quinta-feira, não surgiram interessados. Para acionar a Justiça, o clube se baseou no pedido de tombamento enviado para Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Compresp) no dia 12 de abril. No entendimento do clube, o leilão só pode ser concluído após a decisão definitiva sobre o tombamento do complexo Oswaldo Teixeira Duarte, formado pelo estádio do Canindé e o clube social.

Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

© Getty Images Empresas nacionais lançam títulos originais e também de outros países
Resumo:

O setor de jogos de tabuleiros modernos foi responsável por cerca de R$ 665 milhões do faturamento da indústria de brinquedos nacional;Em 2018, mais de 4.000 “boardgames” foram lançados no mundo todo;Conclave, Galápagos, Calamity Games, Papergames, Meeple BR e Bucaneiros são algumas das editoras brasileiras de jogos de tabuleiro;O Diversão Offline, evento dedicado ao hobby, recebeu 18 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões no mercado de jogos analógicos ao longo de seis edições.