O Sr. Agostinho Lopes Carrilho hoje nos  fala sobre anos 30:

"No mes de junho haviam quermesses na rua Miller a de S. João Batista com 2 bandas de música.

Na Carlos de Campos que ainda não era calçada ,uma banda na quermesse de S. Pedro e no pátio da Igreja Sto. Antonio tocava uma banda.

Essas bandas eram muito boas, pareciam orquestras.

Na Procissão de Sto. Antonio na frente iam dois cavalarianos da Força Pública ,hoje Polícia Militar, montados em cavalos brancos e tocavam clarins.

Na Festa de 25 anos da Paróquia a Banda Sinfonica da Força tocou na Procissão de maneira tão bonita que alguns instrumentos de sopro se pareciam com violinos. Os coroinhas eram moços e um deles anos mais tarde se tornou Juiz de  Direito e um outro que era meu amigo se tornou Coronel e Comandante da PM.

Na Igreja Sto. Antonio do Pari teve um organista o Frei Feliciano , que era um dos maiores organistas do mundo que , quando tocava a Fuga de Bach, dava a impressão de que seria ouvido do outro lado da Praça Padre Bento.