O DIA QUE A MEGA SENA SAIU NO PARI!!!!! E não faz muito tempo, apenas uns dois anos. Foram R$ 12.500.000,00 mais ou menos, prestem atenção , DOZE  MILHÕES, DDDDDDDDDOOOOOOOOOOZZEEEEEEEEE.

Ibrahin, um dos muitos libaneses comerciantes de jeans no Pari. Solteiro, cerca de 30 e poucos anos, saudoso de

sua linda terra natal, onde estava toda a sua família , exceção feita a alguns primos, com os quais convivia com

amizade.

A sua principal alegria no Brasil era Rosinha , uma linda mineirinha , de longos cabelos negros e olhos verdes como duas pedrinhas de  esmeralda, bem brilhantes e  que era a sua namorada.

Ibrahin lutava muito, mas os negócios não caminhavam bem, ele ficava muitas vezes cabisbaixo, pensativo, pensando no que estava fazendo aqui nesta terra tão distante da sua. Mas, quando vinham esses pensamentos, logo vinha à sua mente , como num flash, aquela

figura doce, brejeira de mulher , com aquele sorriso maroto. Ibrahin, como num despertar pensava com seus botões que havia de vencer aqui no Brasil, como tantos outros patrícios seus.

Mas a realidade era bem outra, a folhinha corria célere, os aluguéis iam se acumulando, as dívidas se avolumando, enfim as dificuldades inerentes ao empresário brasileiro, acossado por impostos absurdos, encargos , taxas, juros extorsivos e que engessam a iniciativa privada nacional.Para piorar a a situação, veio a notícia que sua velha mãe estava muito mal de saude numa aldeia distante nas montanhas do Líbano e ele teria que ir para lá imediatamente. Mas ir como? se ele não tinha dinheiro. Recorreu ao agiota de sempre, Haisan, que disse perante amigos, que não emprestaria dinheiro , pois ele era caloteiro e sim emprestaria as passagens. Ibrahin aceitou e começou a se preparar para fazer uma viagem de poucos dias para ver sua querida mãezinha, dona Layla.

Pois bem, num sábado , lá pelas 21 hs. se perfumava para ver o seu amor, quando resolveu ir ao computador de sua casa e conferir os bilhetes que havia comprado fiado de Tenório, o bilheteiro com o qual mantinha uma continha e pagava semanalmente. Não é possível!! ele esfregou os olhos, UM ganhador de São Paulo e lá estava a sua sena completa, ele pulou , cantou , dobrou os joelhos e agradeceu a Deus essa dádiva. Correu para contar à Rosinha, que havia ganho.  Na segunda feira, ele que devia 15.000 para a Rosinha, colocou UM MI-

LHÃO na poupança dela. Fechou a loja, pagou todos os credores, afivelou as malas e foi para o Líbano , visitar dona Layla, com a passagem do agiota. Pagou as dívidas com o agiota, porem a passagem disse que não iria pagar porque foi humilhado.

Hoje Ibrahin vive com Rosinha, na" modesta" Ponte Aérea, S. Paulo, Beirute, Rabat(Marrocos) onde comprou um modesto tres estrelas.

Ah ! ia esquecendo, o bilheteiro que empurrou o cartão premiado com muita insistência, o Tenório, passados uns tres meses após a premiação e sempre lembrando que esteve com a chance de ser milionário nas mãos e que vendera fiado , entrou numa profunda depressão , se enfiou na bebida e morreu de cirrose, num quarto de cortiço onde morava no Pari.