Pular para o conteúdo principal

Fwd: “PEC DAS DOMÉSTICAS” – NOVAS REGRAS






 

 
 

"PEC DAS DOMÉSTICAS" – NOVAS REGRAS

No último dia 26.03 foi aprovada pelo Senado Federal a proposta de Emenda Constitucional n.º 66/2012, mais conhecida como "PEC das Domésticas".

A PEC entrará em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União, que está prevista para a primeira semana do mês de Abril, e, com isso, alguns direitos como a jornada de trabalho de oito horas diárias e 44 semanais já começam a valer assim que a lei for promulgada.

O que muda com a PEC:

Os empregados domésticos passam a ter os mesmos direitos dos demais trabalhadores.

I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos;
II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;
III - fundo de garantia do tempo de serviço;
VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável;
IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;
X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;
XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei ;
XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho;
XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta por cento à do normal;
XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança;
XXV – assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré – escolas;
XXVI – reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;
XXVIII – seguro contra acidentes do trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;
XXX – proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;
XXXI – proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência;
XXXIII – proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos;

São considerados empregados domésticos aqueles que labutam em residência de maneira fixa, como o cozinheiro(a), governanta, babá, lavadeira, faxineiro(a), vigia, motorista particular, jardineiro(a), acompanhante de idosos(as), entre outras. O caseiro também é considerado empregado doméstico, quando o sítio ou local onde exerce a sua atividade não possui finalidade lucrativa.

Em decorrência das novas regras, recomendamos que seja feito um contrato entre empregador e empregado. O contrato poderá ser feito de maneira simples e não necessita de reconhecimento de firma das assinaturas, sendo a única observação a de que uma via deverá ficar com o empregado e outro com o empregador.

Com relação ao controle de horas, que até o momento é o que mais gera dúvida entre os empregadores, ele poderá ser feito em um caderno pelo próprio empregado, com sua assinatura. Neste caderno deverá ser indicado o início e término das atividades, devendo ser evitado a anotação de horários padronizados (8 às 12 por exemplo). A notação deverá ser real.

Quanto aos empregados domésticos que dormem no emprego, a jornada de trabalho será considerada encerrada no momento em que o empregado termina suas atividades diárias, não sendo considerado tempo a disposição do empregador o período em que o empregado estiver repousando, desde que este não fique disposição e/ou não seja chamado para prestar serviços.

A fim de sanar as inúmeras dúvidas decorrentes das mudanças, o Ministério do Trabalho irá editar um manual para esclarecer a aplicação das novas regras.

Por fim, esclarecemos que quem tem empregada doméstica em casa com carteira assina e é obrigado a declarar o Imposto de Renda, tem direito a deduzir na declaração o valor referente às contribuições pagas ao INSS, limitado ao valor de R$ 985,96 na declaração de 2013, relativa ao ano calendário 2012. Conforme disposto em lei, o empregador deve recolher 12% do salário pago à doméstica para a Previdência.

Desta forma, caso necessite, ficamos à disposição para maiores esclarecimentos.

Angel Ardanaz e Nathamy Mendes, advogados, membros da Ardanaz Sociedade de Advogados -www.ardanazsa.adv.br

Esperamos que a leitura seja de interesse. Caso queiram indicar o nome de outra pessoa para receber este e-mail, adicionalmente ou em substituição, favor informar o nome completo, telefone e e-mail.

Esta mensagem foi enviada para sua caixa postal por solicitação de cadastro ou indicação. Caso não tenham interesse em receber as próximas edições deste Boletim de Notícias, pedimos-lhe que nos comuniquem, pelo e-mail informativo@ardanazsa.adv.br

Os textos constantes deste informativo foram extraídos de fontes de consulta confiáveis. Cada Texto Contém a citação da fonte. Havendo alguma hipótese de violação de direitos autorais, por favor envie uma mensagem para informativo@ardanazsa.adv.br informando. Obrigado.

Nenhum vírus encontrado nessa mensagem.

Verificado por AVG - www.avgbrasil.com.br
Versão: 2012.0.2240 / Banco de dados de vírus: 2641/5718 - Data de Lançamento: 04/01/13

Nenhum vírus encontrado nessa mensagem.
Verificado por AVG - www.avgbrasil.com.br
Versão: 2012.0.2240 / Banco de dados de vírus: 2641/5718 - Data de Lançamento: 04/01/13


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Samuel - Menino de Rua

Os caminhos da vida nos levam a destinos que muitas vezes não esperamos. As esquinas são cruéis. As noites e dias tornam-se cada vez mais difíceis de suportar. A explicação é única. Solidão. As ruas que dormimos nelas nos passam dores que ficam alojadas no corpo para toda a vida. Sou um menino de rua. Tornei-me um deles. Num dia desses, num passeio pelo centro de uma capital me perdi dos meus pais. Fique na multidão. Gritei. Chorei. Não adiantou. Fiquei só no mundo. Mesmo assim, não perdi, em momento algum, a vontade de vencer. Samuel se perde dos pais e vira menino de rua... É bem verdade, que mesmo só pelas ruas Direita, São Bento, XV de Novembro, e tantas outras, prédios antigos e modernos, não me fizeram perder meus sonhos. Captei a mensagem de que para vencer, basta lutar. Alguém me disse que aquilo que plantamos, colhemos. Dizem que é uma lei da natureza. Nua e crua. Então resolvi, que seria muito legal para mim, trabalhar. Juntar forças para conseguir alguma coisa melhor

[Circo do Parito] Fwd: JOSINO 12444

---------- Mensagem encaminhada ---------- De: JBM < josinob7@gmail.com > Data: 4 de setembro de 2014 00:24 Assunto: JOSINO 12444 Para: josy monteiro < monteiro2984@yahoo.com.br >, a < thiego_riker@hotmail.com >, adolfo silva < arsvidio@hotmail.com >, Alberto Bittencourt < abitt9@gmail.com >, " albino.peixe@terra.com.br " < albino.peixe@terra.com.br >, amanda oliveira < amanda.c3@hotmail.com >, " anborges06@terra.com.br " < anborges06@terra.com.br >, Britto < britto@znnalinha.com.br >, CARLOS GUAITA GARNICA < advck@yahoo.com.br >, " ccc-juridica@uol.com.br " < ccc-juridica@uol.com.br >, Celize Florian < celizeflorian@yahoo.com.br >, " cesarcsb@terra.com.br " < cesarcsb@terra.com.br >, Daisy de Almeida Ribeiro < daisealmeida@uol.com.br >, " daisy@fernandolucio.com.br " < daisy@fernandolucio.com.br >, " dante@odraude.com.br " < dante@

Luto - Faleceu Milton George Thame, diretor do Jornal do Brás

Luto - Faleceu Milton George Thame, diretor do Jornal do Brás Jornal do Brás "É com muito pesar que informo o falecimento do Milton George Thame, diretor-presidente do Jornal do Brás. Descanse em paz, Milton e muito obrigado por tudo!" Fonte : Facebook do Jornalista Eduardo C. Mattellota