Ciclista atropelado no Centro era costureiro boliviano, diz Consulado

Acidente envolvendo ônibus ocorreu na quarta-feira (1º), em rua no Pari.
Motorista deve responder por homicídio culposo, sem intenção de matar.

Nathália DuarteDo G1 São Paulo

Site da Globo
15 comentários
Ciclista atropelado no Centro (Foto: Reprodução/TV Globo)Bicicleta ficou retorcida após acidente com ciclista
(Foto: Reprodução/TV Globo)

O ciclista morto na quarta-feira (1º), no Centro de São Paulo, depois de ser atropelado por um ônibus, foi identificado como o boliviano Ramiro Daniel Castillo Quispe, de 24 anos, segundo informou ao G1o Consulado Geral da Bolívia em São Paulo. A vítima trabalhava como costureiro na capital, era casada e tinha dois filhos. O boliviano estava sem documentos no momento do acidente e por isso demorou a ser identificado, segundo a polícia.

De acordo com o Consulado, o corpo permanece no Instituto Médico Legal (IML) e ainda não há informações sobre onde será o sepultamento da vítima. Há possibilidade de que o corpo seja levado para a Bolívia. Também não há informações sobre se a situação do boliviano no Brasil era regular.

O acidente ocorreu por volta das 19h30 na Rua Silva Teles, no Pari. A bicicleta ficou retorcida com o impacto da batida. Segundo a empresa de ônibus, o ciclista entrou na rua na contramão no mesmo momento que o motorista passava pelo cruzamento.

O caso foi registrado pelo 8º Distrito Policial (DP), mas é investigado pelo delegado Eder Pereira, titular do 12º DP. De acordo com o delegado, o motorista do ônibus se apresentou após o acidente, mas foi liberado e deve ser ouvido durante o inquérito que irá apurar as circunstâncias da morte. O motorista pode responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Segundo a empresa de ônibus, o condutor disse que tentou desviar do ciclista, mas não conseguiu. O ciclista chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.