Pular para o conteúdo principal

CÂMARA MUNICIPAL APROVA CRIAÇÃO DA PREFEITURA REGIONAL DO BRÁS/PARI



PREFEITURA REGIONAL DO BRÁS / PARI APROVADA EM SEGUNDA VOTAÇÃO -Uma antiga reivindicação dos moradores da região do Brás / Pari está prestes a se tornar realidade. Na noite de ontem, consegui aprovar em segunda votação meu projeto de lei (PL 473/2008) que cria a Prefeitura Regional do Brás / Pari e garante mais autonomia e independência para tratarmos de perto dos problemas de nossa região. O PL agora segue para sanção do prefeito Bruno Covas. 
Hoje, as ruas do bairro são a maior expressão de comércio popular da capital paulista. Só a importância comercial e o número de pessoas que circulam diariamente pela região, estima-se que sejam mais de 400 mil pessoas, já exige um olhar mais atento da administração pública.
Isso sem falar no ganho direto que teremos em agilidade dos serviços de zeladoria urbana, na revitalização urbana do bairro e em intervenções para melhoria de tráfego. E também há a proposta da criação de um posto Poupatempo na futura Prefeitura Regional, para facilitar ainda mais a vida da população.
Outro ponto importante que justifica a criação desta nova Prefeitura Regional é o desafogo que teremos na gestão da Mooca, atualmente responsável por seis distritos e mais de 300 mil habitantes e que encontra-se sobrecarregada em suas demandas.
Também não posso deixar de citar minha preocupação com o crescimento desorganizado do comércio popular de rua na região, além dos índices críticos de insegurança que tanto afligem os moradores. Para isso, será fundamental que tenhamos a mobilização necessária para sancioná-lo e assim conseguirmos identificar e debater de maneira profunda todos os nossos problemas.
E no que tange ao meu mandato parlamentar coloco-me, como sempre, à disposição para tornarmos novamente o Brás mais acessível e inclusivo para todos nós! Um bairro que respeita seus moradores e pensa sempre na segurança e no bem-estar de seu cidadão. Um bairro que não é conduzido, mas que conduz seus próprios rumos!
TIRA DÚVIDAS – Para que servem as Prefeituras Regionais?
Consideradas “pequenos municípios”, as agora denominadas Prefeituras Regionais (até 2016 eram chamadas de Subprefeituras) são unidades administrativas descentralizadas da prefeitura. Existem na cidade de São Paulo 32 delas, que realizam ações voltadas desde serviços a pequenas obras. Regidas pela lei nº 13. 999, de 1º de agosto de 2002, desde então, funcionam (ou deveriam) como o canal mais próximo e direto com a população local. Cada regional é administrada por um subprefeito, indicado pelo prefeito, responsável por gerenciar e controlar os assuntos municipais em âmbito local. A mais nova, com funcionamento a partir de 2013, é a Subprefeitura de Sapopemba, na zona leste, com capacidade para atender às demandas de até 500 pessoas, todos os dias.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aloha, Rotary!

Aloha, Rotary!
Conheça o verdadeiro espírito do aloha e do Rotary ao lado de familiares, amigos e outros rotarianos na cidade de Honolulu. Será o ambiente ideal para celebrarmos, colaborarmos e estreitarmos nossos laços de amizade, desfrutando do calor e da hospitalidade havaianos. A Convenção é uma das únicas oportunidades de reunirmos pessoas em ação do mundo inteiro para comemorar as conquistas do Rotary. Nossos oradores o motivarão ainda mais a se dedicar aos serviços humanitários e abordarão novas perspectivas relacionadas ao nosso trabalho global. Aproveite para rever velhos amigos, fazer novos contatos e explorar tudo o que o evento tem a oferecer. Você voltará para casa energizado e inspirado a continuar trabalhando pelo bem do próximo. Não perca a chance de compartilhar o seu aloha com toda a família rotária na nossa Convenção em Honolulu, de 6 a 10 de junho de 2020. Inscreva-se agora e economize Faça sua inscrição até 15 de dezembro pelo site riconvention.org para aproveitar o p…

Após ação da Lusa na Justiça, leilão do Canindé termina sem lances

Clube se baseia no pedido de tombamento que está em análise no Conselho de Preservação do Patrimônio

Gonçalo Junior e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo 09 de maio de 2019 | 15h41

Após a Portuguesa entrar com uma petição na 14ª Vara Cível da Capital de São Paulo para suspender o leilão de parte do terreno do Canindé, marcado para esta quinta-feira, não surgiram interessados. Para acionar a Justiça, o clube se baseou no pedido de tombamento enviado para Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Compresp) no dia 12 de abril. No entendimento do clube, o leilão só pode ser concluído após a decisão definitiva sobre o tombamento do complexo Oswaldo Teixeira Duarte, formado pelo estádio do Canindé e o clube social.

Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

© Getty Images Empresas nacionais lançam títulos originais e também de outros países
Resumo:

O setor de jogos de tabuleiros modernos foi responsável por cerca de R$ 665 milhões do faturamento da indústria de brinquedos nacional;Em 2018, mais de 4.000 “boardgames” foram lançados no mundo todo;Conclave, Galápagos, Calamity Games, Papergames, Meeple BR e Bucaneiros são algumas das editoras brasileiras de jogos de tabuleiro;O Diversão Offline, evento dedicado ao hobby, recebeu 18 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões no mercado de jogos analógicos ao longo de seis edições.