Trata-se de um dos menores bairros da cidade de São Paulo. O seu nome  vem de um antigo instrumento de pesca que consistia de uma cerca de taquara ou de cipó, estendida de margem a margem principalmente nos rios Tietê e Tamanduateí para pescar peixes que depois eram vendidos no centro da então vila de São Paulo. O bairro é habitado principalmente por portugueses, bolivianos e palestinos.Tem até uma Feira Boliviana, aos domingos, que já é atração na cidade.
Confesso que o Pari, para mim, até bem pouco tempo era sinônimo de Escola Técnica Federal / Igreja de Santo Antonio do Pari (a mamma já cantou lá,com o coral das vovozinhas) /cheirinho de biscoitos fresquinhos e ponto.
Porém... tudo mudou quando fui mobiliar minha casinha em 2009... rsrs. Dona Iara apresentou-me o "paraíso das utilidades domésticas"...Viva!!! Comprei praticamente tudo o que precisava neste quesito, em apenas duas viagens até lá. Lojas,  lojinhas e verdadeiras megastores, que vendem de tudo: utilidades, brinquedos, material escolar, artigos para festas, decoração, cacarecos que nem sabemos ao certo para o que servem, enfim... muuuuita coisa mesmo! Com preços justos, convidativos ou até mesmo verdadeiras pechinchas.
Lóoogico que a mamma e a sogrinha estavam junto, para ajudar e opinar nas escolhas... nada melhor que a voz da experiência nessas horas!
Volta e meia, arrumamos desculpas para fazermos compras no bairro: aniversário da Gi, do vovô Darcy, carnaval, copa do mundo, início das aulas, um presentinho para alguém e por aí vai. E a cada nova visita que faço ao local, vou analisando suas ruas com charme de antigamente e vendo como é gracioso esse tal Pari.
Gosto muito e recomendo!

Imagens: Sandra Gambs