Pular para o conteúdo principal

Fwd: [rede21sp] democratização dos meios de comunicação


Wagner Wilson
http://www.gazetadopari.com.br

"Esta mensagem, incluindo seus anexos, é confidencial e seu conteúdo é restrito ao destinatário da mensagem. Caso você a tenha recebido por engano, queira, por favor, retorná-la ao destinatário e apagá-la de seus arquivos. É expressamente proibido o uso não autorizado, replicação ou disseminação da mesma. As opiniões contidas nesta mensagem e seus anexos não necessariamente refletem a opinião do órgão emissor".

 






Movimentos de comunicação marcam ato na sede da Rede Globo em São Paulo

27/06/2013  rede brasil atual

Protesto deve ser realizado na próxima quarta-feira (3). Plenária realizada ontem debateu agenda unificada. Ideia é aproveitar efervescência política para pautar democratização da mídia

Movimentos que defendem a democratização dos meios de comunicação realizaram na noite de ontem (25) uma plenária no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, em São Paulo, para traçar uma estratégia de atuação. A ideia é aproveitar o ambiente de efervescência política para pautar o assunto. Concretamente cerca de 100 participantes decidiram realizar uma manifestação diante da sede da Rede Globo na cidade, na próxima quarta-feira (3).
A insatisfação popular em relação à mídia foi marcante nas recentes manifestações populares em São Paulo. Jornalistas de vários veículos de comunicação, em especial da Globo, foram hostilizados durante os protestos. No caso mais grave, um carro da rede Record, adaptado para ser usado como estúdio, foi incendiado.
Na plenária de ontem, o professor de gestão de políticas públicas da Universidade de São Paulo, Pablo Ortellado, avaliou que os jornais Folha de S. PauloO Estado de S. Paulo, a revista Veja e a própria Globo, por meio de editoriais, incentivaram o uso da violência para reprimir os manifestantes. Mas em seguida passaram a colaborar para dispersar a pauta de reivindicações que originaram a onda de protestos, ao incentivar a adoção de bandeiras exteriores à proposta do MPL – até então restrita à revogação do aumento das tarifas de ônibus, trens e metrô de R$ 3 para R$ 3,20.
Os movimentos sociais, no entanto, ainda buscam uma agenda de pautas concretas para atender a diversas demandas, que incluem a democratização das concessões públicas de rádio e TV, liberdade de expressão e acesso irrestrito à internet.
"Devíamos beber da experiência do MPL (Movimento Passe Livre) aqui em São Paulo, que além de ter uma meta geral, o passe livre, conseguiu mover a conjuntura claramente R$ 0,20 para a esquerda", exemplificou Pedro Ekman, coordenador do Coletivo Intervozes. "A gente tem que achar os 20 centavos da comunicação. Achar uma pauta concreta que obrigue o governo federal a tomar uma decisão à esquerda e não mais uma decisão de conciliação com o poder midiático que sempre moveu o poder nesse país", defendeu.
"A questão é urgente. Todos os avanços democráticos estão sendo brecadas pelo poder da mídia, que tem feito todos os esforços para impedir as reformas progressistas e para impor uma agenda conservadora, de retrocesso e perda de direitos", afirmou Igor Felipe, da coordenação de comunicação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
A avaliação é que apesar de outras conquistas sociais, não houve avanços na questão da democratização da mídia. "Nós temos dez anos de um processo que resolveu não enfrentar essa pauta. Nós temos um ministro que é advogado das empresas de comunicação do ponto de vista do enfrentamento do debate público", disse Ekman, referindo-se a Paulo Bernardo, da Comunicação.
Bernardo é criticado por ter, entre outras coisas, se posicionado contra mecanismos de controle social da mídia. "Eu não tenho dúvida que tudo isso passa pela saída dele. Fora, Paulo Bernardo!", enfatizou Sérgio Amadeu, professor da Universidade Federal do ABC e coordenador do programa Praças Digitais da prefeitura de São Paulo.
Amadeu acusa o ministro de estar "fazendo o jogo das operadoras que querem controlar a Internet" e trabalhar para impedir a aprovação do atual texto do Marco Civil do setor. "Temos uma tarefa. Lutar sim, para junto dessa linha da reforma política colocar a democratização", afirmou.
secretária de Comunicação da CUTRosane Bertotti, coordenadora geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, enfatizou a importância da campanha de coleta de assinaturas para a proposta de iniciativa popular de uma nova lei geral de comunicação.
O projeto trata da regulamentação da radiodifusão e pretende garantir mais pluralidade nos conteúdos, transparência nos processos de concessão e evitar os monopólios. "Vamos levá-lo para as ruas e recolher 1,6 milhão de assinaturas. Esse projeto não vem de quem tem de fazer – o governo brasileiro e o Congresso –, mas virá da mão do povo", disse.

Fonte: Rede Brasil Atual

__._,_.___
Atividade nos últimos dias:
.

__,_._,___


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jornal do Brás - 30 anos

Ilustração extraída dos Wilson Studios

Já em franca evidência, o comércio do Brás, Pari, 25 de Março, Bom Retiro, Mooca, Belém e Tatuapé, está de prateleiras lotadas dos milhões de produtos de alta qualidade, à disposição do Turismo de Compras. Só o Brás deverá registrar 2 milhões de pessoas em novembro, passando para 3 e 4 milhões no auge das festividades natalinas.
Segurança
Várias empresas do bairro Brás/Pari já estão adotando até drones para oferecer maior segurança ao Turismo de Compras que deverá atrair mais de 3 milhões de pessoas por dia na região. Além de tudo, a segurança aos compradores será indumentada pelas mais de 200 câmeras de segurança monitoradas pela CET.
Jornal da Propagação Responsável pela divulgação da marcha brasense, o popular Jornal do Brás reduziu os custos de sua tabela, em comemoração aos seus 30 anos dia 20 de outubro. 91.000 temporários De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), espera-se a contratação de 91.000 trab…

Região agiliza vendas de Natal

Já em franca evidência, o comércio do Brás, Pari, 25 de Março, Bom Retiro, Mooca, Belém e Tatuapé, está de prateleiras lotadas dos milhões de produtos de alta qualidade, à disposição do Turismo de Compras. Só o Brás deverá registrar 2 milhões de pessoas em novembro, passando para 3 e 4 milhões no auge das festividades natalinas.
Segurança Várias empresas do bairro Brás/Pari já estão adotando até drones para oferecer maior segurança ao Turismo de Compras que deverá atrair mais de 3 milhões de pessoas por dia na região. Além de tudo, a segurança aos compradores será indumentada pelas mais de 200 câmeras de segurança monitoradas pela CET.
Jornal da Propagação Responsável pela divulgação da marcha brasense, o popular Jornal do Brás reduziu os custos de sua tabela, em comemoração aos seus 30 anos dia 20 de outubro. 91.000 temporários De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), espera-se a contratação de 91.000 trabalhadores temporários para atender …

Super Recomendo - Mapa do Pari

Mapa das Redondezas do Pari do Super - Recomendo







Veja mais no Instagram do Super Recomendo