IGREJA SANTO ANTÔNIO PREPARA CENTENÁRIO
Eduardo Cedeño Martellotta

A Paróquia Santo Antônio do Pari tem novo pároco. É o frei Adriano Freixo Pinto, 38 anos, natural de São Gonçalo-RJ, carioca como o amigo frei Gilmar, que estava no cargo desde 2009 e foi transferido para o Convento de Santo Antônio da cidade do Rio de Janeiro.

Em entrevista ao Jornal do Brás, frei Adriano, que tomou posse dia 17 de fevereiro último, contou que aos poucos vai se familiarizando com os devotos de Santo Antônio – o santo casamenteiro da região Brás/Pari. Ele veio de Petrópolis-RJ. Antes, trabalhou em Ituporanga-SC e em Bragança Paulista.

 

O novo pároco disse que a igreja e a comunidade aguardam com muita expectativa, o I Centenário da Paróquia Santo Antônio, que ocorrerá no ano que vem.

Para realizar uma grande festa, frei Adriano elaborou uma lista com muitos projetos materiais e espirituais. Entre os materiais, são necessárias várias melhorias na Igreja – iluminação, pintura e outras reformas. "Precisamos investir na iluminação externa da igreja, que à noite fica apagada e com pouca visibilidade", contou ele.

Frei Adriano disse ainda que há no local resquícios do incêndio ocorrido na Festa de Santo Antônio em 2006. Embora tenham sido restauradas as duas torres e o telhado, vários altares – cerca de 20 – precisam de reforma. Eles estão com infiltrações e a pintura está soltando. Toda ajuda da comunidade e dos empresários, é bem-vinda, disse o novo pároco.

 

Praça Padre Bento

Outro objetivo é revitalizar a Praça Padre Bento. Para isso, ele pretende conversar com o subprefeito da Mooca, o engenheiro Francisco Carlos Ricardo. Está em estudo também a realização de um projeto social para atender pessoas carentes.

Frei Adriano observa um esvaziamento do público nas missas. Em vista disso, vai mudar o horário das missas das 19h30 para as 18h, que é quando o público sai do trabalho e passa em grande número na frente da igreja.

Para ele, a decisão de renúncia do papa Bento XVI foi de muita humildade e coragem. "Humildade para reconhecer que por causa de suas limitações de saúde e idade, não conseguia mais oferecer aquilo que a Igreja espera dele. E coragem para mostrar que na Igreja, todo poder é serviço, e não posse e apego. Quem conduz a Igreja é o Espírito Santo", ressaltou.

O frei Adriano foi muito bem recepcionado pela comunidade na sua posse, e espera que o seu trabalho corresponda às expectativas de todos. "Espero poder trabalhar à altura como padre, religioso e franciscano para dar assistência espiritual à comunidade", disse ele, finalizando a entrevista com uma mensagem de "fé, esperança e coragem" num mundo complexo e difícil.

frei-adriano-2

 

Matéria extraída do Jornal do Brás