Pular para o conteúdo principal

METRÔ: REATIVAÇÃO DAS BIBLIOTECAS, EIS UMA CAUSA NOBRE



Bem que a iniciativa privada poderia somar esforços ao Instituto Brasil Leitor para reativar as bibliotecas nas estações do Metrô de São Paulo. O assunto foi publicado pela Folha de São Paulo, na edição do dia 19 de maio, e mostrou que milhares de livros "estão ociosos em prateleiras de bibliotecas do programa "Embarque na Leitura" há quase oito meses".De acordo com a reportagem, três bibliotecas instaladas no Tatuapé, Brás e Santa Cecília foram fechadas porque estão sem patrocínio há mais de dois anos. Houve uma mobilização nas redes sociais, por meio de um abaixo-assinado, mas não houve resposta.A luta pela reabertura das bibliotecas também mobiliza os próprios metroviários, como o operador de trem Alex Santana Vieira, que se manifestou sobre o assunto em sua página no Facebook. 
"Pois bem, semana passada, o Departamento de Marcketing do Metrô me ligou para dar um parecer sobre o assunto... Foi dito que estão há algum tempo tentando resolver a questão, mas que depende de patrocínio, que há um termo (Não lembro o nome que deram, como se fosse um contrato) assinado com a IBL, onde esta deve administrar e o Metrô obrigatoriamente por esse termo deve conceder o espaço para eles, ou seja, o Metrô não pode buscar outras alternativas enquanto essa parceria com a IBL estiver em vigor... Além disso, não há interesse em quebrar essa parceria, mas sim em estender, aumentar, porém, o IBL (Instituto Brasil Leitor) não está conseguindo patrocínio, eles estão sem condições há cerca de 2 anos e foi mantendo as bibliotecas com recursos próprios e chegou um momento em que não foi possível manter e tiveram que fechar algumas dessas bibliotecas... Sendo assim, o apelo é para que empresas se disponham em patrocinar essas bibliotecas e dar apoio à leitura", declarou. 

PETIÇÃO Quem quiser contribuir para a causa, basta assinar a petição pedindo a reativação destes espaços de cultura. O link é http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N30414

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Aloha, Rotary!

Aloha, Rotary!
Conheça o verdadeiro espírito do aloha e do Rotary ao lado de familiares, amigos e outros rotarianos na cidade de Honolulu. Será o ambiente ideal para celebrarmos, colaborarmos e estreitarmos nossos laços de amizade, desfrutando do calor e da hospitalidade havaianos. A Convenção é uma das únicas oportunidades de reunirmos pessoas em ação do mundo inteiro para comemorar as conquistas do Rotary. Nossos oradores o motivarão ainda mais a se dedicar aos serviços humanitários e abordarão novas perspectivas relacionadas ao nosso trabalho global. Aproveite para rever velhos amigos, fazer novos contatos e explorar tudo o que o evento tem a oferecer. Você voltará para casa energizado e inspirado a continuar trabalhando pelo bem do próximo. Não perca a chance de compartilhar o seu aloha com toda a família rotária na nossa Convenção em Honolulu, de 6 a 10 de junho de 2020. Inscreva-se agora e economize Faça sua inscrição até 15 de dezembro pelo site riconvention.org para aproveitar o p…

Após ação da Lusa na Justiça, leilão do Canindé termina sem lances

Clube se baseia no pedido de tombamento que está em análise no Conselho de Preservação do Patrimônio

Gonçalo Junior e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo 09 de maio de 2019 | 15h41

Após a Portuguesa entrar com uma petição na 14ª Vara Cível da Capital de São Paulo para suspender o leilão de parte do terreno do Canindé, marcado para esta quinta-feira, não surgiram interessados. Para acionar a Justiça, o clube se baseou no pedido de tombamento enviado para Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental (Compresp) no dia 12 de abril. No entendimento do clube, o leilão só pode ser concluído após a decisão definitiva sobre o tombamento do complexo Oswaldo Teixeira Duarte, formado pelo estádio do Canindé e o clube social.

Mercado de jogos de tabuleiro ganha espaço no Brasil

© Getty Images Empresas nacionais lançam títulos originais e também de outros países
Resumo:

O setor de jogos de tabuleiros modernos foi responsável por cerca de R$ 665 milhões do faturamento da indústria de brinquedos nacional;Em 2018, mais de 4.000 “boardgames” foram lançados no mundo todo;Conclave, Galápagos, Calamity Games, Papergames, Meeple BR e Bucaneiros são algumas das editoras brasileiras de jogos de tabuleiro;O Diversão Offline, evento dedicado ao hobby, recebeu 18 mil pessoas e movimentou R$ 2 milhões no mercado de jogos analógicos ao longo de seis edições.